Arte, Ciência e Técnica na Viagem Philosophica de Alexandre Rodrigues Ferreira

Clique na imagem para visualizar a publicação.

Clique na imagem para visualizar a publicação.

Dissertação apresentada por Emerlinda Coutinho Pacata, em 2001, ao Instituto de Geociências da UNICAMP como parte dos requisitos para obtenção para o título de Mestre em Geociências.

“Com o objetivo de contribuir para o levantamento e estudo da iconografia da Viagem Philosophica de Alexandre Rodrigues Ferreira, neste trabalho seguimos a trajetória dessa expedição em Belém e seus arredores de Setembro de 1783 a Setembro de 1784, considerando os desenhadores José Joaquim Freire e Joaquim José Codina e suas aquarelas. Tomamos como referência principalmente imagens histórico-geográficas publicadas que compreendem prospectos de vilas e cidades paraenses; perspectivas de máquinas agro-industriais e de engenhos de açúcar e arroz; desenhos de embarcações; e mapas, em associação com alguns desenhos de animais. Trabalhamos no âmbito da história das ciências de forma multidisciplinar num diálogo com a história das artes, considerando a iconografia da expedição nas circunstâncias em que foi produzida, ou seja, em suas relações explícitas ou implícitas com os diários, memórias, instruções e correspondências escritas por Alexandre Rodrigues Ferreira ou por engenheiros e arquitetos que se encontravam na colônia. Além disso, consideramos ainda o contexto político, econômico e social em que a expedição se inseria. Através de exaustivos levantamentos iconográficos e bibliográficos foi constatada uma pluralidade de formas representativas que nos indicou a versatilidade dos artistas, que em sua formação que eram treinados no desenho de história natural, no desenho técnico proveniente da engenharia e arquitetura, e na cartografia. Este preparo foi imprescindível durante a elaboração da expedição. Durante a expedição, a produção iconográfica de Freire e Codina dependeu das vicissitudes do campo, como tempo disponível para confecção das imagens, estado de saúde dos membros da expedição, topografia do local a ser retratado, etc. Consideramos ainda as cópias produzidas pelos desenhadores da Casa do Desenho do Real Jardim Botânico de Ajuda, onde as imagens foram reelaboradas revelando aspectos importantes da produção de desenhos no gabinete. As imagens histórico-geográficas produzidas em Belém e seus arredores associadas com os textos de Alexandre Rodrigues Ferreira confirmaram as relações texto-imagem, caracteristicas da literatura de viagens da época e que tem sido tratado de forma isolada pela historiografia da Viagem Philosophica. Estas representações mostram as preocupações agrícolas, urbanísticas e territoriais dos funcionários do Estado português afim de efetivar a colonização na Amazônia. Constatamos que as imagens histórico-geográficas eram utilizadas como instrumentos de reconhecimento e apropriação territorial e humano pelos engenheiros, arquitetos, naturalistas e administradores portugueses que se encontravam na Amazônia.”

Emerlinda Moutinho Pataca,
autora da obra.

O arquivo PDF disponível para visualização e download possui 273 páginas e cerca de 13 MB.

Para fazer o download da publicação, clique aqui.

– > O arquivo é parte integrante do acervo do UFPA 2.0 < –

Anúncios

Sobre ufpadoispontozero

Repositório digital da produção intelectual (acadêmica e artística) da Universidade Federal do Pará.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s